Negócios e Política

Cashback: como funciona?

As relações entre clientes e marcas passam por constantes mudanças ao longo do tempo, fator que influencia diretamente na criação de novos serviços e tendências. Inclusive, o surgimento do “dinheiro de volta”, o famoso cashback, expressa muito bem esse cenário.

Sabendo que parte da população brasileira dispõe de cartões de crédito para fazer compras no dia a dia, as operadoras sentiram necessidade de tomar ações para tornar o uso de linhas de crédito mais atrativo.

As taxas de endividamento tiveram disparada nos últimos anos, isso como consequência dos desdobramentos da crise sanitária a nível mundial iniciada nesse período. Logo, o aumento de preços foi inevitável.

Apesar da inflação ser um fator comum a todas as economias, quando seu aumento é frequente, esse cenário se torna uma preocupação.

Como solução de combate ao endividamento causado pela inflação, as operadoras de crédito identificaram que o incentivo ao uso consciente do crédito seria essencial, por isso, o cashback surgiu como uma estratégia.

A recorrência de compras em determinados estabelecimentos ou na contratação de serviços é uma via de mão dupla, pois certamente beneficia os negócios e proprietários dos mesmos, assim como os próprios compradores.

O que é cashback?

Imagine a possibilidade de ter parte do dinheiro de volta ao utilizar seu cartão na contratação de serviço de lavanderia por kg, que é essencial na rotina de diversas pessoas.

O termo cashback é um conceito que remete à criação de um programa de recompensas como iniciativa das empresas para estreitar laços com o cliente, por meio do acúmulo de reais ou pontos.

O benefício é concedido na maior parte das vezes para clientes fidelizados, mas pode ser usado como estratégia para atrair novos clientes, cujo foco é conceder tal benefício facilitando a recorrência de compras.

A tendência iniciou nos EUA e chegou ao Brasil, caindo no gosto da população. No entanto, é comum haver interpretações errôneas sobre o que verdadeiramente é o conceito de cashback, que é confundido com o conceito de desconto.

No projeto de incluir moveis para escritorio planejados em sua reforma, pensando na saúde financeira e disponibilidade de dinheiro em caixa, uma empresa decidiu negociar com o valor final do projeto de móveis com o prestador de serviço.

Após chegarem a uma negociação da qual ambas as partes saem beneficiadas, o prestador concedeu 10% de desconto no valor total do projeto de móveis planejados e, com o intuito de fidelizar e atrair clientes, ofereceu a opção de acúmulo de descontos por indicação.

Ou seja, ao obter um percentual descontado no valor total do projeto, a empresa não pagou o valor integral. Esse é justamente o conceito de desconto.

Por outro lado, ao comprar uma câmera de segurança wifi com gravação, o proprietário de um imóvel notou que sua operadora de cartão de crédito faria a devolução de 10% do valor total pago no produto.

Neste caso, o valor integral do produto foi pago, mas uma quantia do total foi devolvida ao cliente. Isso expressa exatamente o que é cashback.

Diferente da concessão de descontos, no funcionamento do programa há a devolução de parte do valor pago ao cliente, em geral os valores pagos variam entre 1% a 100%, podendo inclusive ter um valor fixo a ser devolvido para ser mais atrativo ao público.

É importante ressaltar que o benefício em devolver parte do valor pago aos clientes pode ser adotado por empresas em diversos segmentos, não existe restrição de ramo ou porte para a sua implementação.

O que irá diferenciar as modalidades é a parceria com outros estabelecimentos, tendo em vista que empresas de grande porte e que atuem em segmentos dinâmicos certamente poderão contar com a flexibilização de política, incluindo parceiros no negócio.

Todavia, não existem regras para a aplicação do cashback, desde que estabeleça algumas regras de concessão ao programa de fidelidade.

O cashback na prática

Com o entendimento do significado de cashback, fica mais simples compreender seu funcionamento na prática.

Imagine que uma loja de departamento focada no nicho de casa e construção decidiu dispor da abordagem “receba o dinheiro de volta” para atrair novos clientes em potencial. Com isso, incluiu em suas campanhas a chamada para usarem o cashback.

No caso do cliente que fizer a primeira compra de piso de granito polido e pagar integralmente pelo valor do produto, o benefício poderá ser aplicado, justamente para que aconteça a fidelização.

Em outras palavras, ao adquirir um produto e pagar integralmente por ele, o consumidor será beneficiado com o cashback, tendo direito a um percentual devolvido, o qual é calculado de acordo com as políticas da empresa.

Notando que obteve o retorno de 20% do valor pago na primeira compra, o cliente decidiu retornar à loja de departamento e fazer uma nova aquisição.

Desse modo, foi possível usar o dinheiro disponibilizado para pagar menos na contratação do serviço de manutenção de telhados industriais que a loja fornecia.

Certamente, o cliente poderia ter se direcionado a outro estabelecimento para comprar ou contratar um novo produto, mas sabendo que poderia pagar menos na segunda compra, a opção foi ir até o mesmo estabelecimento.

Logo, com a aplicação desse programa, os consumidores enxergam mais valor em construir relacionamento com as empresas, não vendo o processo de compra somente como uma decisão, mas sim, como forma de economizar ao criar laços.

Assim, o funcionamento na prática do cashback é fomentar a intenção de compra dos consumidores, dando mais benefícios a estes ao adquirirem duas ou mais vezes as soluções apresentadas.

Com isso, é comum que ocorram questionamentos acerca da viabilidade em comprar com empresas que disponham disto, como se vale ou não a pena.

A importância de estar atento aos tipos de cashback

Com a popularização desse incentivo, as empresas passaram a implementar um amparo para segundas compras, porém, adequando as políticas conforme seus interesses. Isto é, o cashback se tornou efetivamente um veículo de estratégia.

Todavia, esse fato pode não estar totalmente claro aos consumidores, que acabam tendo somente a perspectiva de que terão o dinheiro de volta no sentido literal da expressão. Afinal, com a tradução do termo, é comum que isso aconteça.

Para uma especialista em paisagismo e jardinagem em condominios, o conceito de dinheiro de volta deve contemplar o valor disponível em sua conta, não somente no formato de programa de fidelidade de estabelecimentos.

Afinal, no segmento em que atua, a empresa precisa comprar os produtos em diferentes fornecedores, e seria mais viável que estes disponibilizassem o dinheiro de volta na forma literal, e não com o acúmulo de valor para a próxima conta no local.

Em contrapartida, os clientes de uma empresa de refrigeração empresarial podem reconhecer a vantagem em ter o dinheiro de volta durante a contratação de um plano de manutenção para ar condicionado, pois esse é um serviço de recorrente contratação.

Por isso, para avaliar se o cashback é viável, a política da empresa que estabelece o benefício e o fluxo de compra deve ser analisada.

Onde encontrar empresas com cashback?

Tal como a maioria das tendências de mercado, a popularização do cashback foi rápida e alcançou nível mundial.

Como o Brasil é um país em desenvolvimento, as tendências de mercado demoram um pouco para atingir a população. No entanto, após isso acontecer, rapidamente são disseminadas.

O mercado brasileiro conta ainda com plataformas específicas em cashback que firmam contrato com empresas, como uma terceirização da gestão de benefícios, serviço adotado recentemente por negócios como entrega via motoboy para obter fidelização.

Com a existência de tais plataformas, o consumidor pode se direcionar aos sites ou aplicativos e fazer uma busca, filtrando pelo nome da loja que tem intenção de compra, ou mesmo através do produto ou serviço que necessita.

Os sites irão direcionar para a empresa parceira escolhida, sendo necessário o preenchimento de um formulário para cadastro, e, por fim, a finalização de compra para receber o benefício de acordo com a política.

Do mesmo modo, é possível usar as ferramentas de busca para realizar a mesma tarefa. É comum que cashback seja disponibilizado por:

  • Operadoras de cartão de crédito;
  • Bancos de pagamentos;
  • Lojas virtuais;
  • Estabelecimentos físicos.

Contudo, especialistas em marketing identificaram que a adoção do benefício pode ser uma estratégia utilizada para fidelizar clientes de melhor forma e potencializar seu alcance a clientes em potencial.

O que facilita o encontro de comércios e empresas que contenham o benefício de cashback no portfólio de vantagens competitivas apresentadas aos consumidores.

Considerações finais

Com as mudanças no mercado, houve a necessidade das empresas se adaptarem a diferentes cenários. As mudanças na economia ocasionadas pelo novo normal certamente exigiram a tomada de alternativas estratégicas para que os negócios venham a continuar.

Como reação do mercado à economia, a popularização do cashback ocorreu de forma a continuar a fomentar o consumo, despertando a curiosidade de muitos acerca de sua funcionalidade e eficiência.

Contudo, para o consumidor concluir se o cashback vale ou não a pena, é preciso observar se a política de concessão de benefícios atende às expectativas de compra e obtenção de vantagens com a fidelização.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 + doze =