Auto e Moto

Entenda sobre alguns cuidados na hora de financiar um carro

Dos muitos sonhos que uma pessoa pode ter, um automóvel próprio é um dos desejos de uma extensa lista, e financiar um carro pode transformar esse sonho em realidade. 

O financiamento de automóveis é uma das formas mais populares de comprar veículos. Muitas pessoas aproveitam esse tipo de facilidade, identificando taxas atraentes, pagamentos mensais acessíveis e prazos flexíveis. 

As propostas que bancos e instituições financeiras oferecem para financiar um carro são projetadas para levar uma pessoa para trás do volante de forma rápida.

Contudo, existem algumas diferenças importantes a serem entendidas antes de se comprometer com um contrato. 

Com uma boa compreensão dos tipos de produtos financeiros disponíveis para financiar um carro, qualquer um pode tirar o máximo proveito do empréstimo e aproveitar todos os benefícios, como abrir uma empresa de extintores sp, sem estresse.

Decisão de financiar um carro deve ser pensada

A partir do momento que uma pessoa faz 18 anos, no Brasil, ela está apta a tirar a habilitação para condução de veículos automotivos. 

Também a partir dessa idade muitos modelos de negócios que permitem financiar um carro estão disponíveis para obter um carro, como:

  • Consórcio de veículos;
  • Empréstimo pessoal;
  • Financiamento direto;
  • Leasing.

No primeiro caso, o consórcio serve para pessoas se planejarem, pois podem pagar por algo que ainda não possuem, recebendo uma carta de crédito ao longo do consórcio para obter o produto, seja ele um veículo ou o acesso a um curso de instalação de sprinklers.

A negociação, nesse caso, assim como empréstimo pessoal, fica mais fácil, pois quem quer comprar um veículo tem uma carta de crédito, ou dinheiro em mãos, para comprar o modelo que desejar – conforme o tipo de consórcio – sem precisar financiar um carro a longo prazo. 

Já o financiamento direto pode ser feito com uma instituição financeira, como bancos e empresas especializadas, com taxas e juros que variam de acordo com o modelo do veículo, o ano de fabricação, e até mesmo o crédito que a pessoa possui no mercado.

Por fim, o leasing é como um aluguel de veículo, com a possibilidade de ficar com o carro ao final do contrato.

Na verdade, poucas pessoas têm condições financeiras de pagar um carro integralmente, sem nunca precisar de um empréstimo. 

Inclusive, um dos principais equívocos sobre financiar um carro é que precisa de um bom crédito para se qualificar. 

Todos os dias, muitas pessoas têm todos os tipos de crédito aprovados para financiamento, portanto, não possui nenhum impedimento para financiar um carro ou solicitar um empréstimo pessoal. 

Como funciona o financiamento do carro?

Quando se fala em financiar um carro, essa afirmação se aplica ao processo de pagamento de um veículo durante um determinado período de tempo, em vez de comprá-lo diretamente com pagamento em dinheiro.

Os pagamentos são feitos durante períodos que podem ser de 12, 24, 36, 48 e podendo chegar a até 60 parcelas, com os boletos dentro de envelope personalizados para fazer o pagamento em dia. 

Fatores como entrada para financiar um carro, pagamento balão, que é um valor devido ao final das prestações, ou mesmo o valor do veículo, influenciam nos gastos. 

Com muitas opções disponíveis, é importante entender como elas diferem e porque uma opção pode ser mais adequada para financiar um carro, e como isso reflete na vida financeira de quem se propõe a ter um veículo próprio a partir desse modelo de negócio.

Acessibilidade financeira

Fica mais fácil procurar e financiar um carro a partir do momento que uma pessoa sabe quanto pode pagar nas parcelas. 

O financiamento de um veículo pode ser pré-aprovado, indicando qual o valor concedido à pessoa, bem como os prazos e a taxa de juros do empréstimo. 

Mesmo que a pessoa tenha sido pré-aprovada por um determinado valor, ela não precisa gastar tudo em um veículo muito caro, podendo investir parte em etiquetas adesivas personalizadas de uma empresa particular. 

Assim, é melhor trabalhar a estimativa dentro do orçamento disponível, de preferência mensal, para verificar se é viável financiar um carro. 

Caso contrário, ela precisa gastar menos do que o valor pré-aprovado, pois é preciso lembrar que, além dos juros maiores conforme o número de parcelas, há taxas e documentação para pagar.

A escolha é limitada 

No mercado de veículos novos e, especialmente, no mercado de carros usados, há muitas opções em termos de modelos, cores e tamanhos, mas a escolha se resume à acessibilidade. 

Em muitos casos, com jovens, principalmente, o valor pré-aprovado pode ser mais baixo, o que limita a escolha do veículo de acordo com o que o mercado oferece para aquela possibilidade financeira. 

De modo geral, o processo de compra se torna menos assustador e mais claro quando consegue-se visualizar o valor disponível, custos e flexibilidades mensais. 

Ou seja, quando a pessoa enxerga sua demanda e comprometimento, entende que há um orçamento para trabalhar e poder percorrer os clientes que atende na locação de impressoras para escritórios. 

Assim, a escolha de carro é reduzida pela acessibilidade, o que pode ser vantajoso ao tornar o processo mais fácil, visto que – para uma melhor saúde financeira – a escolha deve ser feita conforme um leque definido de opções.

Ganho de poder de negociação

As concessionárias oferecem soluções interessantes para financiar um carro, mas esse caminho geralmente é mais caro do que ir à instituição financeira em que se tem uma conta bancária. 

Ao chegar em uma concessionária sem ter pré-aprovação, a pessoa pode se apaixonar por um carro e pegar o financiamento da concessionária, o que significa que ela pode acabar “esticando” o orçamento.

No entanto, se ela opta por obter a pré-aprovação primeiro, passa a ter algum poder de negociação, como quando precisa fazer a manutenção de notebook BH e busca uma autorizada técnica especializada.

Armado com a taxa de juros do banco, ou outro credor, uma pessoa pode negociar e financiar um carro com o revendedor. 

Esse profissional pode estar disposto a oferecer uma taxa de juros mais baixa para fazer a melhor negociação para ambos os lados. 

Cuidados antes de comprar um veículo

Ter um veículo próprio faz parte do sonho de muitas pessoas. Assim como outros bens de consumo, um carro pode se configurar como um status social, ou apenas uma facilidade no dia a dia de um profissional, ou de pais e mães que precisam deixar os filhos na escola.

Por isso mesmo, entre outros fatores, é preciso prestar atenção e ter alguns cuidados ao financiar um carro, e vale até uma ligação para PABX em nuvem de uma financiadora para verificar as opções e facilidades.

Além disso, é preciso ter ideia sobre outros custos e demandas, como valores de impostos como o DPVAT e licenciamento, que são obrigatórios para veículos com até 20 anos de fabricação. 

  1. Juros e taxas

Quando uma pessoa passa a financiar um carro, é preciso pagar juros e algumas taxas em comparação com o pagamento à vista.

No entanto, com uma devida negociação, as taxas são bastante razoáveis, tornando o empréstimo para o pagamento de um carro uma oferta atraente.

  1. Documento em posse do banco

De modo geral, com o financiamento, o banco é quem possui efetivamente o veículo até o último pagamento.

Como o veículo é garantido pelo empréstimo, o carro pode estar em risco de ser recuperado pelo credor se os pagamentos não forem feitos no tempo devido, ou se não pagar o empréstimo conforme contrato estipulado. 

Se, em casos raros, isso acontecer, pode afetar negativamente o histórico de crédito.

  1. Depreciação

Carros depreciam em valor durante o período do empréstimo. A taxa de depreciação pode depender do tipo de veículo, e do uso do dia a dia. 

Em alguns casos, o valor que uma pessoa ainda está devendo é superior ao valor de mercado do carro. 

Isso pode se tornar um problema se o proprietário ou proprietária quiser atualizar no médio prazo, pois precisa cobrir qualquer lacuna entre o que é devido à financeira e o quanto foi recebido com a venda do veículo. 

Se não houver planos de atualização no médio prazo, isso não se aplica.

Dicas para obter o melhor empréstimo de carro

O histórico de crédito pode ter um impacto na taxa de juros e no valor que uma pessoa pode emprestar, então o primeiro passo é resolver qualquer problema relacionado a finanças. 

Por exemplo, todo mundo deve considerar pagar quaisquer inadimplências ou cartões de crédito que afetam o histórico de crédito. 

Além disso, deve certificar-se de ter uma boa conduta no extrato bancário, ou seja, que não há saques a descoberto regulares, débitos excessivos e afins, assim como a atualização do projeto elétrico industrial para quem trabalha em plantas fabris.

A forma como se vai pagar as parcelas ao financiar um carro também deve ser colocado dentro de um cenário realista.

A internet dispõe de uma infinidade de calculadoras online, e estas podem ajudar a calcular os números de forma aproximada, para se ter uma ideia de custo, conforme a entrada e a avaliação junto a financeiras. 

Deve-se levar em consideração outras despesas para elaborar um prazo de empréstimo confortável, em referência ao valor de reembolso que se pode pagar. 

Quanto maior o prazo do empréstimo, menores serão os pagamentos. Mas os juros também aumentam, assim como a depreciação do veículo pode ocorrer.

Conclusão

O mercado financeiro oferece várias opções ao financiar um carro. Quem deseja fugir do transporte público pode procurar credores online, consultar os bancos ou ir direto ao revendedor ou concessionária de preferência.

No entanto, é preciso fazer a pesquisa e avaliar as cotações, a fim de descobrir qual deles combina melhor com quem quer financiar um carro, necessidades e orçamento disponível. 

Como dica final, quem está interessado em ter um carro próprio deve evitar muitas consultas de crédito, pois elas podem ter um impacto negativo na pontuação final. 

Se não quiser classificar as opções por conta própria, pode entrar em contato com um corretor financeiro que possa comparar e encontrar as melhores opções, pois geralmente têm um grande painel de credores de forma centralizada, possibilitando uma melhor escolha.Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × um =