Negócios e Política

Aprenda sobre a nova modalidade de investimento Crowdfunding

Um jeito de tornar suas ideias reais e empreender é através de recursos financeiros. Com um sistema de Crowdfunding, em português, financiamento coletivo, os empreendedores podem conseguir capital para realizar seus sonhos.

Isto posto, entender o conceito de crowdfunding, como funciona, os benefícios e outros detalhes importantes são maneiras de conseguir utilizar esses sistemas para empreender e ter bons resultados.

Conseguir reconhecimento e investimentos de grandes empresas não é uma tarefa fácil. Com grande concorrência no mercado, esse é um fator que motiva as pessoas a buscarem novas alternativas para conseguir tornar realidade, por exemplo, a ideia de ter uma vitrine expositora online.

Apresentar os produtos ou serviços diretamente para o consumidor final pode ser uma alternativa interessante e válida para conseguir empreender.

O que é crowdfunding?

Crowdfunding funciona como uma forma de arrecadação financeira, ou seja, o principal objetivo é a união de uma comunidade que acredita em uma ideia, um projeto.

Deste modo, tudo é feito de modo independente, já que não há um investidor majoritário. Popularmente, essa iniciativa é conhecida como financiamento coletivo.

O crowdfunding proporciona uma oportunidade interessante de um contato direto entre os empreendedores e clientes. A partir disso, é possível arrecadar um valor que pode ajudar na produção dos produtos ou execução dos serviços.

Normalmente, o financiamento é feito por pessoas que gostam da sua empresa ou que tem um grande interesse nos produtos e serviços presentes do portfólio da marca ou que serão lançados.

Os empreendedores podem utilizar plataformas como o Cartase e o IndieGoGo para elaborar apresentações que possam chamar atenção dos consumidores e possíveis investidores a respeito de negócios de aluguel de andadores, entre outros produtos e serviços de diferentes áreas.

Com isso, você pode criar metas de valores e objetivos que podem animar as pessoas e estabelecer alguns limites financeiros a respeito das campanhas de arrecadamento e do que será possível entregar ao fim da campanha.

As pessoas que desejam apoiar empresas e projetos, podem acessar a página que o empreendedor disponibiliza para conhecer melhor as metas, objetivos, informações e valores.

Outro ponto importante é definir a forma de contribuição que pode ser cartão de crédito, débito e com a modernização nos métodos de pagamento, alguns podem utilizar o Pix.

Como funciona o crowdfunding?

Conseguir o reconhecimento de outras empresas e de investidores é sempre desafiador para os empreendedores. A concorrência se intensificou, seja no segmento de câmara frigorífica para congelados ou em outras áreas.

Por isso, a ideia de criar boas apresentações pode ajudar o público e novos investidores a ver o seu projeto e quem sabe se interessarem a ponto de ajudar, seja com um valor simbólico ou com uma grande quantia que viabilize não só o projeto principal, mas também novos projetos.

As pessoas que desejam, por exemplo, apoiar uma empresa de cuidador de idosos podem pesquisar informações na internet, entrar na página do seu projeto e depois de ler todas as informações, apoiar com o valor que desejar ou conforme a descrição da página.

Plataformas de crowdfunding

Com o crescimento do crowdfunding, existem diversas plataformas especializadas em diferentes tipos de captação de recursos.

Essas plataformas podem ser divididas em dois grupos: as que se concentram em startups e as voltadas para projetos ligados à economia real. 

As plataformas voltadas para os investimentos em startups são: SMU, EqSeed, Kria, CapTable, entre outras. Já as que são voltadas para projetos de economia real consistem em: Gleeba, Urbe, Bloxs, Hust e outras disponíveis no mercado.

Com o crowdfunding, existe a possibilidade de formar um grupo de investidores que você pode ser sócio ou financiar negócios considerados sólidos como o de balcão vitrine refrigerada para bolos e doces e outros com potencial promissor em diferentes áreas como:

  • Área comercial;
  • Mercado imobiliário;
  • Ativos judiciais;
  • Geração de energia;
  • Agronegócio.

Basicamente, o crowdfunding pode ser um investimento direto e coletivo em diferentes empreendimentos, principalmente os sólidos e com alto potencial de retorno financeiro.

É notável que por se tratar de oportunidades consideradas únicas e ligadas à economia real, costumam fugir do padrão tido como tradicional de investimentos que são mais ligados à renda fixa e ações.

Ou seja, esses investimentos não podem ser encontrados, por exemplo, em corretoras ou bancos.

Por este motivo, o crowdfunding está presente em uma categoria chamada de investimentos alternativos.

Outro ponto importante, e que pessoas que desejam contribuir com os projetos que lhe agradam e os investidores que ajudam empresas devem se atentar, é que somente plataformas autorizadas pelas CVM (Comissão de Valores Imobiliários) são aptas para realizar o processo de captação de crowdfunding.

Quais as melhores plataformas para serem utilizadas no crowdfunding?

Não existe uma resposta certa quando o assunto é plataformas para serem utilizadas no crowdfunding. Utilizar a que melhor atende às suas necessidades, ou seja, a que ajudará nos objetivos do negócio.

Um ponto muito importante é que independente da plataforma escolhida, ela deve estar de acordo com as leis e regras do seu setor de atuação.

Para o processo de investimentos em crowdfunding, basta realizar um cadastro em uma plataforma que seja autorizada pela CVM e a partir disso, fazer todos os procedimentos para garantir sua cota de participação em projetos como o de aluguel de material hospitalar, entre outros.

Tipos de crowdfunding

Há diferentes tipos de crowdfunding, por isso conhecer as principais modalidades é a melhor maneira de se preparar e fazer os melhores investimentos e apoio a projetos interessantes.

As principais opções são:

Pontual

Esse modelo de arrecadação de dinheiro tem uma data para ser encerrada. Deste modo o dono do projeto pode definir uma meta e a partir disso fica aguardando as pessoas se interessarem e realizarem uma colaboração.

Projetos de livros, games, vestuário são alguns exemplos que se encaixam nesta modalidade.

Assinatura ou recorrente

Essa modalidade tem um formato que nunca se encerra, ou seja, o projeto não acaba. O foco é manter o trabalho sempre vivo e frequente com o apoio das pessoas e o pagamento, em muitos casos ocorre mensalmente.

Projetos de podcasts, vídeos na internet são exemplos para esta opção. Os procedimentos de um refrigerador para medicamentos podem se encaixar nesta categoria, já que é um serviço que sempre será necessário.

Solidária

Essa modalidade é focada exclusivamente em doações para ajudar alguma causa. Neste caso, a premiação é menos física e mais íntima, já que o foco é na sensação de fazer parte de um grupo, uma comunidade que ajuda pessoas e projetos.

Riscos e recompensas

Você pode ajudar diretamente campanhas e projetos nos quais você acredita, pode ser algo muito satisfatório, mas há riscos que não devem ser ignorados.

Diversos projetos demoram para serem entregues aos seus apoiadores. Há projetos que simplesmente desaparecem, deixam de existir e não chegam nem próximo de ser lançados.

Em alguns casos, o produto final não é tão interessante quanto a ideia apresentada ao público.

Entretanto, quando dá certo, o crowdfunding proporciona os seguintes ganhos:

  • A oportunidade e apoiar um projeto que você acredita;
  • Receber um projeto com cara de exclusivo;
  • A sensação de ter participado ativamente do projeto;
  • Nomes nos créditos, mimos e participar da comunidade.

Além desses, existem outros exemplos de riscos e recompensas, mas os citados acima costumam englobar boa parte do que se espera de um crowdfunding.

Diferenças entre vaquinha e financiamento coletivo

O financiamento coletivo parte do princípio da vaquinha, de que juntas as pessoas podem colaborar, e a partir disso realizar um projeto que sozinhas, talvez não conseguiriam. O diferencial é que essa opção pode ser potencializada, graças a força da internet.

Não há mágica no processo, ou seja, é uma forma de realização com poder, onde há o engajamento das pessoas para tornar o projeto ou ideia, uma realidade e assim gerar benefícios a todos.

Crowdfunding vale a pena?

Se você é um produto de conteúdo, empreendedor ou tem um projeto no qual acredita, seja um serviço de remoção de pacientes ou um produto e pensa em arrecadar dinheiro de apoiadores, o crowdfunding pode ser uma ótima opção.

Você tem a possibilidade de ter mais controle dos processos criativos e produtivos, mas isso agrega mais responsabilidades.

Sendo assim, elaborar um planejamento eficiente, ter noção dos valores necessários para a produção e garantir a entrega aos clientes. Esses processos são importantes, pois, caso ocorra erros, é a reputação do seu projeto/empresa que fica em jogo.

Portanto, entender como funciona o crowdfunding é uma ótima maneira de utilizá-lo nos seus projetos, tornar suas ideias reais e se destacar diante do público e ter ótimos ganhos no seu negócio.
Texto originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, canal em que você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 7 =