Negócios e Política

Gestão de custos: para que serve?

Qualquer companhia que deseja crescer e se manter no mercado por longos anos sabe que um dos elementos mais importantes para isso é a saúde das suas finanças. Por isso, a gestão de custos se tornou indispensável para as empresas.

Não há como obter bons resultados para uma companhia se não houver uma gestão adequada dos seus recursos. Uma das ferramentas mais importantes nesse cenário é o planejamento financeiro de uma empresa.

Quando a gestão desse planejamento não funciona, o que se pode ver é que o volume de vendas, a margem bruta, a margem líquida e a própria longevidade da companhia no mercado estão seriamente comprometidos.

Diante disso, a gestão de custos se torna uma atividade fundamental, com a função de coordenar os insumos adquiridos e a realização de produtos ou de serviços. Uma empresa que trabalha com reforma de assoalho de madeira, por exemplo, também depende disso.

Para entender o quanto a gestão de custos pode impactar no financeiro de uma companhia, basta imaginar que o preço final de um produto ou de um serviço precisa ser calculado com base nos valores que são investidos nele.

De fato, a produção de uma peça de roupa, por exemplo, recebe tanto o impacto do preço do tecido quanto o do uso da energia elétrica para o funcionamento da máquina e, mas ainda dos itens que são usados para estoque e para envio das peças.

Sendo assim, um erro de cálculo sobre qualquer um desses itens pode significar que os lucros da empresa serão impactados, o que gera custos desnecessários e que vão comprometer as finanças da companhia.

Dessa forma, conhecer o que é uma gestão de custos e para que ela serve, assim como entender as vantagens que ela oferece para uma companhia, é uma ação importante para garantir o bom funcionamento de um negócio.

O que é gestão de custos? 

Não importa qual seja o segmento de uma companhia, que pode ir desde uma fabricante de válvula de controle de pressão hidráulica até um açougue: é preciso que haja uma gestão de custos do local para evitar surpresas.

Para que isso aconteça, é indispensável que exista uma gestão de custos na companhia. Mas, afinal, do que ela se trata? É bastante simples: existe um conjunto de medidas particulares e integradas que são tomadas com o intuito de satisfazer questões comerciais.

Entre as possibilidades a serem tomadas, pode-se incluir pontos como a busca de novos fornecedores e aplicação em tecnologias que sejam capazes de automatizar processos e de otimizar toda a rotina da empresa.

Quando se pensa que o bem mais valioso que existe é o tempo, encontrar modos de torná-lo mais produtivo é essencial. Ou seja, em locais onde existem vários processos burocráticos, perde-se tempo útil que poderia ser melhor aplicado pela companhia.

Em paralelo, a boa gestão de uma empresa é capaz de tornar os seus lucros ainda maiores. Afinal, não é apenas de rentabilidade ou de lucratividade que as finanças de uma companhia se compõe. As despesas também contam muito nesse cenário.

É possível dizer, portanto, que o rendimento se torna o resultado de um equilíbrio entre custos e vendas de uma empresa. Por isso, quem quer lucrar precisa conter gastos. Ganha mais quem gasta menos.

Em muitos casos, fazer um cálculo de KPIs, as chaves indicadoras de performance de uma empresa, é um modo eficiente de mostrar quais custos estão passando do ideal, para que possam ser remodelados.

Para que uma gestão de custos possa ser bem realizada, é interessante ter em mente que existem sete tipos de custos envolvidos na rotina de uma empresa. São eles:

  • Custo fixo: não se altera diante da produtividade da companhia;
  • Custo variável: se altera diante da produtividade da empresa;
  • Custo direto: aquele relacionado à produção de produtos/serviços;
  • Custo indireto: que não pode ser relacionado facilmente à produção;
  • Custo de oportunidade: gasto realizado para aproveitar uma oportunidade;
  • Custo total: valor somado de todos os custos de produção;
  • Custo marginal: mudança de custo ocorrida pelo aumento de produção.

Diante disso, é perfeitamente possível compreender que uma corporação que faça corte de chapa a laser, ou mesmo qualquer outra atividade de prestação de serviço ou venda de produtos, precisa conhecer os seus custos.

Afinal, quanto maior é o seu domínio sobre as suas finanças, melhores serão os seus resultados, de modo que ela poderá ter sucesso na organização financeira e conseguirá atingir os seus objetivos mais facilmente.

Qual a finalidade da gestão de custos?

É verdade que muitas companhias do mercado não realizam a sua gestão de custos, seja por não dominar a sua aplicação ou mesmo por não conhecer esse recurso. Porém, ele é fundamental para o bom andamento da empresa.

A gestão de custos pode ter diferentes serventias, de maneira que a empresa que a aplica pode se surpreender no controle interno do seu negócio, o que permite desfrutar de maior tranquilidade no dia a dia.

Uma das funcionalidades da gestão de custos é fornecer um panorama geral da organização financeira da empresa. Na prática, ela consegue compreender os seus custos.

Isso significa que para fabricar uma pulseira com tecido, por exemplo, a empresa está ciente de quais são os custos fixos e variáveis envolvidos, assim como quais são as suas despesas administrativas e operacionais.

Além disso, a gestão de custos serve para ajudar na precificação adequada do produto ou serviço que a empresa oferece. De fato, é crucial que o valor do produto englobe tanto os custos necessários para a sua produção quanto o lucro que a empresa terá com ele.

Nesse ponto, toda companhia deve ter em mente que lucros muito baixos podem trazer prejuízo, mas lucros muito altos podem dificultar as vendas. Por isso, é essencial ter equilíbrio.

Por fim, uma gestão eficiente de custos também pode servir para ajudar na redução de custos internos. Isso quer dizer que a companhia pode encontrar meios para manter a sua qualidade de produção e conseguir melhorar suas margens.

Essa ação pode incluir, por exemplo, a negociação com os atuais fornecedores do negócio, como um que venda fita para arquear pallet, para tornar os custos ainda melhores para a companhia.

Outra possibilidade muito comum é a de procurar novos prestadores de serviço, para alcançar os objetivos de economizar. Com tudo isso, a gestão de custos se torna muito mais eficiente e gera bons resultados para a companhia como um todo.

As vantagens da gestão de custos

Muitas vezes, quem decide montar hortas verticais em varandas está em busca de deixar o ambiente mais bonito e agradável. Mas, ao mesmo tempo, almeja conseguir economizar com a compra desse tipo de item. Nessa situação, é possível ver uma gestão de custos.

De fato, a gestão de custos é uma ação que traz diversas vantagens e que pode mudar de modo significativo a administração de qualquer empresa. Nesse sentido, é fundamental entender quais os benefícios que ela traz, para que a sua realização seja feita rapidamente.

1. Cortar custos desnecessários

É muito comum que, com o passar do tempo, a empresa acumule custos que vão se tornando desnecessários. Dessa forma, é imprescindível que ela tenha controle e saiba interrompê-los o mais rápido possível.

Com uma gestão de custos, isso é mais fácil, uma vez que existe um olhar atento sobre todos os gastos realizados na empresa.

2. Evitar erros de precificação

Pode acontecer de, eventualmente, a empresa conseguir vender várias unidades de bipap neonatal, conseguindo um faturamento mais alto e interessante.

Porém, se a precificação do produto ou serviço é feita com base em dados errados, isso pode, na verdade, se tornar um prejuízo. Com um acompanhamento correto dos custos, isso pode ser evitado.

3. Gerenciar riscos

Que toda empresa passa por momentos de risco na sua jornada, não é novidade para ninguém. Diante disso, é fundamental que elas estejam preparadas para que possam lidar com as adversidades e superá-las com maior tranquilidade.

Uma vidraçaria próxima ou uma fábrica de alimentos pode utilizar a gestão de custos justamente para prever possíveis riscos que envolvem o seu estabelecimento e o mercado como um todo. Dessa forma, ela passa por qualquer problema de modo positivo.

Considerações finais

Todo gestor de empresa deve ter sempre em mente que o seu estabelecimento recebe lucros e realiza gastos, e manter o equilíbrio é essencial para que o negócio se firme no mercado e consiga atuar por longos anos.

Para que isso tenha um retorno mais previsível e seja feito da maneira ideal, é fundamental que exista uma gestão de custos, de modo que a companhia mantenha tudo sob controle e consiga conquistar mais lucros e evitar custos desnecessários.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − dois =