Negócios e Política

Valuation por fluxo de caixa descontado: como funciona? Como calcular?

Há três principais métodos para calcular o valor de compra e venda de uma empresa. Um deles, o mais utilizado no mercado, é o valuation por fluxo de caixa descontado, também chamado de valuation pela renda.

Ele pode ser realizado por empresas de todos os portes e segmentos, desde uma startup até uma multinacional com capital aberto na bolsa de valores. O que muda, na verdade, é a complexidade do cálculo de acordo com o tamanho e o volume financeiro do negócio.

Aproveite esta leitura para tirar as suas dúvidas sobre o que é valuation de empresas, como funciona o valuation por fluxo de caixa descontado e como fazer esse cálculo para achar um preço justo pela organização.

O que é valuation de empresas?

O valuation pode ser definido como o cálculo que determina o valor de compra e venda de uma empresa. Além da análise financeira, ele também avalia as percepções que o mercado tem da companhia e suas reais chances de faturar no futuro.

O resultado do valuation inclui fatores variados, como:

  • lucratividade;
  • crescimento;
  • independência dos ativos;
  • controle dos passivos;
  • variedade de clientes;
  • força e tradição da marca;
  • patentes;
  • cultura organizacional e qualidade da gestão;
  • planejamento estratégico;
  • longevidade do negócio.

Neste contexto, é válido destacar que o objetivo de um empresário de contratar uma empresa especializada em fusão, aquisição e valuation nem sempre é o de vender o negócio. O cálculo pode ser feito devido a aportes de capital, pedido de empréstimo, auditoria, processos judiciais etc.

Quer um exemplo real do que significa o valuation de uma empresa? A perda de valor da Netflix.

Após anunciar pela primeira vez em 10 anos que houve uma queda de assinantes da sua plataforma de streaming, a empresa perdeu aproximadamente US$50 bilhões em valor de mercado, como mostrou reportagem do UOL. 

Como calcular o valuation de uma empresa?

Há várias metodologias para saber como calcular o valuation de uma empresa. As três principais são:

  • fluxo de caixa descontado (pela renda): analisa a capacidade do negócio gerar lucro no futuro, inclui cálculos financeiros e avaliação da força da marca, do posicionamento no mercado, entre outros aspectos que veremos a seguir;
  • múltiplos e cotação (pelo mercado): compara preços com o desempenho econômico e financeiro de empresas do mesmo mercado de atuação, geralmente usando como base empresas de capital aberto que divulgam seu valor de aquisição;
  • valor patrimonial (pelos ativos): esse método leva em conta apenas o valor do patrimônio atual. Soma-se todos os ativos de uma empresa e desconta-se as dívidas. Muito usado para calcular o valuation de empresas com dificuldade financeira.

De volta ao tema central do nosso artigo, explicaremos com mais detalhes o que é valuation por fluxo de caixa descontado e as vantagens de usar esse método. Continue a leitura para saber mais!

O que é valuation por fluxo de caixa descontado?

O valuation por fluxo de caixa descontado (FCD) é a forma mais utilizada no mercado mundial para calcular o valor de um negócio. Sua técnica de avaliação foca na rentabilidade futura de uma empresa, a fim de estimar o valor real e justo que ela vale.

Aos olhos do investidor, ele significa o entendimento se há chances de retorno sobre o investimento e em quanto tempo isso seria realizado.

O cálculo do FCD, em resumo, desconta as dívidas do valor do fluxo de caixa da organização. Ele inclui algumas etapas para chegar ao resultado final:

  1. diagnóstico inicial da empresa;
  2. definição dos critérios utilizados para o cálculo;
  3. projeções de cenários futuros;
  4. cálculos financeiros;
  5. análise dos resultados;
  6. divulgação do valuation final para os empresários e executivos do negócio.

Mas, qual empresa pode ser avaliada pela metodologia do valuation por fluxo de caixa descontado? Todas que tiverem fluxo de caixa e que apresentem a possibilidade de uma estimativa da taxa de desconto. Isto é, ele é usado para companhias que estejam em  funcionamento e sem gerar prejuízos.

O FCD demonstra que o maior valor de uma empresa está em sua performance futura. O desempenho do presente e do passado não importa. Os investidores querem saber se a compra renderá bons frutos ao longo dos anos.

Benefícios do valuation por fluxo de caixa descontado

  • contribui para tomada de decisões mais assertivas;
  • serve como base para criar estratégias corporativas;
  • mostra a saúde e a realidade financeira do negócio;
  • prevê a aceitação da marca por clientes e pelo mercado e se ela acompanha as tendências do setor;
  • analisa o crescimento do mercado e a cadeia de produção.

Muitos investidores consideram o FCD o melhor método de valuation pelo fato de ele incluir em sua avaliação a redução de um investimento a um valor presente líquido (VPL). Se o valor for positivo, significa que é possível o negócio gerar lucro posteriormente.

Dessa forma, o fluxo de caixa descontado possibilita que haja uma melhor escolha dos investimentos, ou seja, os mais lucrativos. 

Como calcular o valuation por fluxo de caixa descontado?

Na prática, esse método projeta os “lucros livres” subsequentes. Mas, para que o cálculo seja mais preciso e acompanhe a realidade, não basta apenas estimar os ganhos financeiros daqui a 1, 5 ou 10 anos.

Afinal, até lá, inúmeros imprevistos podem acontecer, até mesmo a falência da organização. Eis que o valuation por fluxo de caixa descontado oferece uma solução a esse impasse: ele diminui os valores de lucros projetados por uma taxa de desconto, que funciona como se fosse uma taxa de juros.

Até porque, R$500 hoje não equivalem a R$500 no futuro, não é mesmo? Por isso o método FCD realiza esse desconto.

Logo, após a redução da taxa de desconto, chega-se ao valuation final e o resultado do valor de mercado justo de um negócio.

Entenda melhor como calcular o valuation por fluxo de caixa descontado com as etapas abaixo.

  1. Estime o resultado financeiro para os próximos três a sete anos: projeção de receita, despesas e lucro líquido para calcular uma projeção de faturamento. Como está o crescimento da empresa nos últimos anos? Quais são as tendências de crescimento do mercado de atuação? Qual é o planejamento estratégico adotado?
  2. Determine os “fluxos de caixas livres”: a geração de caixa de uma empresa precisa descontar do lucro líquido o capital de investimento, a variação do capital de giro, a depreciação dos ativos, os custos com financiamentos etc.
  3. Calcule a taxa de desconto: a taxa de desconto pode ser calculada pelos métodos CAPM e WACC, que inclui valores da correlação do setor com o mercado, o nível de endividamento da empresa, o retorno de ativos do mercado, a fase de amadurecimento da empresa etc. Geralmente ela varia entre 10% a 30%.
  4. Meça o valor da perpetuidade: calcule uma aproximação do valor que retrata o intervalo entre o último ano projetado financeiramente e o infinito. Ele representa o crescimento anual da geração de fluxos de caixa na perpetuidade e geralmente é estipulado por um valor baixo. Em média, ele costuma ser entre 2 e 3%.
  5. Diminua a taxa de desconto de toda a geração de caixa futura: aplique a taxa de desconto nos “fluxos de caixas livres” calculados.

Ressaltamos que o valuation final pode variar de acordo com as preferências e determinações do avaliador, como a visão pessoal da taxa de desconto, período projetado e taxa de perpetuidade.

Por isso, é essencial contar com o suporte de um assessor financeiro experiente e qualificado que acompanhe de perto o mercado e entenda detalhes do cálculo de valuation.
Fonte: Capital Invest, consultoria com quase 20 anos de experiência em assessoramento financeiro em compra, venda e avaliação de empresas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quatro × 3 =