Negócios e Política

Branding: O que é e como fazer?

Muitos empreendedores, ao entrar no mundo dos negócios, encaram terminologias que, de fato, fazem parte do dia a dia de uma empresa e que precisam conhecer para estabelecer a marca com qualidade. Esse processo vai desde definir sobre branding o que é e como isso afeta o contato com o cliente e o crescente aumento nas vendas até mesmo rodas de brainstorm para marketing. 

Neste material em específico, vamos nos ater ao branding e sua importância para o posicionamento e reconhecimento de uma marca.

Na verdade, até bem pouco tempo atrás, o branding, ou seja a marca de uma empresa, era incompreendida, sendo reduzida ao componente estético, a identidade visual. 

Hoje em dia, contudo, percebe-se a importância desse conceito para quaisquer empresas, fazendo com que cada vez mais diferentes negócios, como fornecedores de energia solar, busquem utilizar o branding de forma ampla para evidenciar a marca de forma consistente.

Aspectos do Branding e mercado digital

Com o crescimento do mercado, muito por causa da tecnologia, internet e as vendas online, o branding realmente tomou um novo significado, proporcionando uma relevância para pontos importantes como o nome, o logo, a estética e o design, posicionamento em mídias diversas e até as embalagens. 

A evolução chega como uma forma de transformar o branding como conceito de caráter mundial, levando em consideração que uma empresa pode alcançar o sucesso global a partir das vendas pela internet. 

Com isso, o branding se torna importante porque não é apenas a causa de uma impressão memorável nos consumidores, mas por também permitir que os clientes saibam o que esperar da empresa de venda de piso líquido preço, por exemplo, ao se deparar com a marca em uma publicação online.

Ou seja, essa é também uma maneira de se distinguir dos concorrentes e esclarecer o que a empresa oferece como solução e diferencial, sendo o  que faz da marca a melhor escolha. 

Consequentemente, a marca é construída para ser uma representação verdadeira de quem é a empresa, a persona que ela representa, e como deseja ser percebida pelo mercado consumidor.

Por exemplo, uma empresa que promove a venda de nobreak residencial preço pode querer se destacar como uma marca mais moderna e que oferece soluções de energia mais tecnológicas. 

Tendo isso em vista, é possível desenvolver um plano de comunicação e marketing mais eficaz, bem como uma brand persona que se assemelha mais com o intuito do negócio, criando identificação no público.

Para que isso seja possível, existem muitas áreas que são usadas para desenvolver uma marca, incluindo:

  • Atendimento ao cliente;
  • Publicidade;
  • Recursos visuais;
  • Reputação; 
  • Responsabilidade social.

Todos esses elementos, entre tantos outros, trabalham em conjunto para criar um perfil único e que chame a atenção do mercado geral e dos consumidores em particular. 

A melhor explicação para branding

Se a explicação do branding fosse simples, não haveria tanta ambiguidade e dissonância em relação ao conceito. 

Ainda assim, na maioria das vezes, uma forte compreensão da marca exige um entendimento de negócios, marketing e até noções básicas de relacionamento.

Branding é um conceito tão vasto que uma definição correta que realmente englobe tudo o que ele representa não trará muita clareza ao assunto por si só. 

Para tornar o entendimento mais simples e direto, a melhor explicação do conceito é que se trata de um processo perpétuo de identificar, criar e gerenciar os ativos e ações que moldam a percepção de uma marca na mente das pessoas. 

Ou seja, todas as campanhas e estratégias voltadas à percepção do público e que criam uma representação no imaginário coletivo sobre a marca.

A abrangência do conceito de branding

Na verdade, basear o aprendizado sobre branding em uma definição que o reduz a apenas um elemento, com foco para o elemento visual, faz com que todos os outros conceitos relacionados a branding fiquem aquém ao tentar conectar os pontos.

Mesmo que a definição ampla seja aparentemente ambígua frente à apresentada oficialmente, propõe um sentido mais amplo, com um significado mais profundo e que mais se aproxima da prática diária relacionada a esse processo de marca.

  1. Processo perpétuo

Branding é um processo perpétuo porque nunca para. Pessoas, mercados e negócios estão em constante mudança e a marca deve evoluir para acompanhar o ritmo, criando novos produtos, reforçando posicionamentos e proporcionando novas formas de relacionamento.

Isso deve ser feito para proporcionar o crescimento exponencial das vendas e um contato de valor para os consumidores, como no caso de serviços de piso cimentício atérmico preço M2 para empresas de construção, que pode ser favorecido pelas redes sociais.

  1. Identifique, crie, gerencie

Existe um processo estruturado de branding, em que se deve primeiro identificar quem ou o que a marca deseja ser para apresentação com o público em geral.

Assim é possível criar uma estratégia de marca para se posicionar de acordo e, em seguida, gerenciar constantemente tudo o que influencia o posicionamento no mercado para manter a comunicação e a identidade consistente.

  1. Ativos e ações cumulativas

O posicionamento deve ser traduzido em ativos, como identidade visual, conteúdo, produtos e anúncios; e passar por ações, como serviços, suporte ao cliente, relações humanas e experiências. 

Tudo isso deve ser projetado na mente dos investidores e colaboradores, bem como em stakeholders como fornecedores e parceiros comerciais, até chegar ao público-alvo, e lentamente construindo essa percepção.

  1. Percepção de uma marca

Também conhecida como reputação. Esta é a associação que um indivíduo, seja cliente ou não, tem em mente em relação à marca em questão. 

Essa percepção é resultado do processo de branding, seja ele totalmente presente, ou ausente, o que faz a diferença quando se precisa divulgar os produtos e serviços para o mercado consumidor e acionar a credibilidade e desejo de compra.

  1. Partes interessadas

Os clientes não são os únicos que constroem uma percepção da marca. As partes interessadas incluem leads, clientes existentes, funcionários, acionistas e parceiros de negócios.

Cada um constrói a própria percepção e interage com a marca de acordo com essa imagem criada. 

O ideal é que haja uma similaridade entre as impressões criadas, de modo a tornar cada ponto de contato um possível embaixador da marca.

A construção de um branding de sucesso

O sistema de valores é o que impulsiona as pessoas na organização, a visão compartilhada da empresa e os princípios em que todos acreditam e projetam para o público. 

Nesse contexto, a estrutura de comunicação é a linguagem, ou seja, tom de voz e o simbolismo visual que a organização usa para transmitir os valores e a missão.

Um processo completo de branding, seja para fábrica de embalagens de papelão ou para um pet shop voltado para produtos de grife, deve consistir em etapas de pesquisa, estratégia e design, geralmente seguidas pela fase de implementação ou execução.

Pode ser que essas etapas falem sobre imersão em vez de pesquisa, ou planejamento em vez de estratégia. Mas, no geral, consistem na análise do mercado e do que se deseja transmitir com a linguagem escolhida e a definição de como o processo será realizado/implementado.

Ou seja, partem de um mesmo intuito, mas existem muitos termos diferentes para os mesmos processos, destinados a alcançar metas semelhantes.

Confira a seguir as 4 etapas do desenvolvimento da identidade do branding. 

  1. Pesquisa

A fase de pesquisa do projeto de branding consiste em coletar informações e analisar as descobertas para conhecer o próprio negócio, setor, concorrentes, público-alvo e toda a construção que se deseja para a marca, considerando design existentes. 

Normalmente, consiste em uma extensa pesquisa de campo, incluindo entrevistas em que os parceiros de marca ouvem sobre o mercado de fábrica de injeção plástica, por exemplo, para entender os desafios de negócios e, em seguida, se alinhar com a visão empresarial

  1. Estratégia

A estratégia de branding é baseada nas descobertas da pesquisa de marca. 

Enquanto a fase de pesquisa é sobre exploração, esta etapa é para focar e consolidar os valores, aspirações de negócios e visão para o futuro. 

O estágio de estratégia define o tom de sua comunicação e fornece um ponto de encontro para a equipe em termos de valores de marca e direção de negócios.

  1. Projeto

Sem design, uma empresa de filtro regulador de pressão, por exemplo, não seria capaz de entregar a estratégia. 

Nesse sentido, a fase de design é o que traduz os valores da marca em soluções práticas, como uma identidade visual de marca memorável e significativa. 

Como parte do processo de branding, o principal papel do design é formular a identidade visual, mas, muitas vezes, vai além disso. 

O design thinking, por exemplo, pode ser aplicado a muitas áreas de um negócio para melhorar serviços, produtos e fluxos de trabalho.

  1. Implementação

A fase de implementação é quando a nova identidade de marca é revelada ao mundo. 

Começa com o planejamento cuidadoso do roll-out, ou seja, como e quando determinados aspectos da marca serão lançados em vários canais. 

A implementação pode assumir muitas formas, desde alguns cartões de visita até um site ou uma série de vídeos de produtos. 

Esta fase pode acontecer muito rapidamente, mas também pode durar vários meses, dependendo das circunstâncias em que um negócio empresarial de nobreak 700VA preço se encontra e da necessidade de posicionamento junto ao público.

Criando confiança do branding no mercado

A reputação de uma marca, em última análise, se resume à quantidade de confiança que os clientes podem ter nela. 

Quanto mais a própria empresa confia em uma marca, melhor a percepção dela, mais forte a reputação e, portanto, o próprio fortalecimento da marca e a credibilidade/valorização agregada.

O branding busca a forma certa de conquistar e manter um certo nível de confiança entre a empresa e todos os envolvidos. 

Isso é feito estabelecendo uma promessa realista e atingível que posicione a marca de uma determinada maneira no mercado e, em seguida, cumprindo essa promessa junto ao público, que se identifica com os valores e processos divulgados

Assim, o relacionamento se torna bastante simples: se a promessa está sendo cumprida, a confiança se acumula nas mentes das partes interessadas e mais a marca se instaura no imaginário coletivo.

Em mercados altamente concorridos, a confiança é especialmente importante porque pode fazer a diferença entre intenção, em que o cliente considera consumir, e direcionar para a ação, que é o ato de fazer a compra e confiar na marca adquirida.

Conclusão

O tema do branding definitivamente pode se alongar e buscar outras vertentes de definições e ideias. 

É um assunto em constante evolução para proporcionar um posicionamento mais qualificado e por isso abrange muitas áreas de especialização, como: gestão de negócios, marketing, publicidade, design, psicologia, entre outras. 

O branding também possui diferentes camadas, cada uma com um significado próprio e uma estrutura que cabe a quem desenvolve essa ideia tão abrangente.

Não é o mesmo que marketing, mas há muitos pontos em comum entre os dois, e é por isso que não se pode reconhecer ou negar que branding e marketing são, de alguma forma, subordinados um ao outro, devendo complementar a estratégia um do outro. 

Isso significa que eles são interdependentes e o objetivo principal é servir ao negócio e, quando conciliados de forma qualificada, o sucesso do empreendimento pode ser promovido.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

seis + dois =